Adoniran Barbosa – Biografia do Ator e Músico

Adoniran Barbosa Biografia
Adoniran Barbosa em cena do filme ”A Carrocinha“ de 1955.

BARBOSA, ADONIRAN ‑ João Rubinato nasceu em Valinhos, SP, em 06 de julho de 1910, filho de imigrantes italianos de Veneza, que ali se radicaram. Ainda menino muda‑se para Jundiaí, SP, e começa a trabalhar nos vagões de carga da estrada de ferro, para ajudar a família. É entregador de marmitas, varredor etc.

Em 1924, com apenas quatorze anos, muda‑se para Santo André, SP. Lá é tecelão, pintor, encanador, serralheiro, mascate e garçon. No Liceu de Artes e Ofícios aprende a profissão de ajustador mecânico. O rapaz João Rubinato já compõe algumas músicas. Participa do programa de calouros na Rádio Cruzeiro do Sul e após muitos gongos, consegue passar com o samba FILOSOFIA, de Noel Rosa.

O ano é 1933 e ele ganha um contrato. Em 1935 passa a usar o nome artístico de Adoniran Barbosa. Paralelamente à carreira de cantor/compositor, é disc‑joquey, locutor, ator de programas humorísticos e de cinema, sendo sua estréia em 1945 no filme PIF‑PAF. Seu melhor desempenho acontece no filme O CANGACEIRO (53) na Vera Cruz.

Compõe inúmeras músicas de sucesso, quase sempre gravadas pelos Demônios da Garoa. Destacam‑se SAMBA DO ERNESTO, TREM DAS ONZE, SAUDOSA MALOCA etc. O reconhecimento, porém, vem somente em 1973, quando grava seu primeiro disco e passa a ser respeitado como grande compositor.

Vive com simplicidade e alegria. Nunca perde o bom humor e seu amor por São Paulo, em especial pelo bairro do Bixiga, que ele canta em muitas músicas suas. Morre em São Paulo, em 23 de novembro de 1982, aos 72 anos de idade. (Fonte: “Astros e Estrelas do Cinema Brasileiro”, de Antonio Leão da Silva Neto)

Filmografia

1945 ‑ Pif-Paf;
1946 ‑ Caídos do Céu;
1950 ‑ A Vida é uma Gargalhada;
1953 ‑ O Cangaceiro;
1953 – Esquina da Ilusão;
1954 ‑ Candinho;
1954 – Mulher de Verdade;
1954 – Três Garimpeiros;
1955 – Carnaval em Lá Maior;
1955 – A Carrocinha;
1956 ‑ Pensão da Dona Estela;
1956 – A Estrada;
1961 ‑ Bruma Seca;
1973 ‑ A Superfêmea;
1977‑ Elas são do baralho.

Assista uma cena com Adoniran Barbosa

Fotos com Adoniran Barbosa

Ligações Externas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp