Mazzaropi – um Jeca contra o latifúndio

Dica de leitura

Há muitos jeitos de se analisar a obra de Mazzaropi. Pode-se falar do apuro técnico de seus filmes; da capacidade dele de ter criado uma produtora independente sem recorrer a patrocínios, financiamentos ou recursos públicos; de distribuir seus filmes por todo o país sem ficar na mão das distribuidoras estadunidenses… enfim, são muitas as razões que o levaram ao sucesso e a se tornar bem-sucedido.

As questões sociais nos filmes de Mazzaropi

No entanto, a crítica nem sempre compreendeu a extensão de sua obra. As questões sociais que seus filmes abordam, alternadas entre o conflito e o deboche pelas “instituições” e a “elite” brasileiras, só passaram a ser enxergadas depois de algum tempo, por um crescente número de críticos e pensadores.

Casinha Pequenina
Cena do filme “Casinha Pequenina” de 1963.

Esse é um tema não esgotado, assim como as questões que um artista brasileiríssimo abordou e ainda hoje insistem em estar presentes como pode-se ver no artigo Mazzaropi – um Jeca contra o latifúndio. Boa leitura.   

Serviço

Museu Mazzaropi fica em Taubaté/SP no endereço:

Estrada Amácio Mazzaropi, 249 – Itaim

Telefone: (12) 3634-3447

Horários: sábado e domingo, das 8h30 às 12h30. 

Ingressos: R$11,00 (inteira) e R$6,00 (meia entrada para estudantes, professors e idosos acima dos 60 anos)

4 comentários em “Mazzaropi – um Jeca contra o latifúndio”

  1. MAURO FERNANDES RIBEIRO JUNIOR

    Sou um adorador de cinema em todos os aspectos e tanto eu como meus pais gostamos muito de Mazzaropi, aprendi a ver os seus filmes com eles e sempre amei também os filmes da Vera Cruz, pois nasci em São Bernardo do Campo e resido aqui, meus pais me contam muitas histórias dos estudios Vera Cruz, mas tenho muita tristeza por este pais não ter memória e não enaltecer, um momento destes que tivemos, com um museu dedicado a este evento, vejo que somente ele, foi quem se preocupava com isto, assim gostaria muito de ver novamente os objetos do museu, digo outra vez porque na época em que estavam na casa do Sr. Martinelli aqui no bairro Jardim Silvina, tive a honra de visita-lo e apreciar este material, agora quero fazer esta visita ao museu.

  2. MAURO FERNANDES RIBEIRO JUNIOR

    Sou um adorador de cinema em todos os aspectos e tanto eu como meus pais gostamos muito de Mazzaropi, aprendi a ver os seus filmes com eles e sempre amei também a Vera Cruz, pois nasci em São Bernardo do Campo e resido aqui, minha família me conta muitas histórias do estúdio, mas tenho muita tristeza por este pais não ter memória e não enaltecer, um momento destes que tivemos, com um museu dedicado a este evento, vejo que somente ele, foi quem se preocupava com isto, assim gostaria muito de ver novamente estes objetos, digo outra vez porque na época em que estavam na casa do Sr. Martinelli aqui no bairro Jardim Silvina, tive a honra de visita-lo e apreciar este material.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *